Câmara Setorial do Cacau fortalece cadeia produtiva em Rondônia

camara-setorialDiversos segmentos ligados ao agronegócio do cacau, reunidos no auditório do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável de Rondônia (CEDRS), no último dia 7, propiciaram a criação da Câmara Setorial do Cacau em Rondônia (CS-Cacau), que passa a coordenar as ações do setor no estado.

“À CS-Cacau compete assessorar os órgãos da administração pública estadual e municipais, analisar, discutir e propor soluções para o desenvolvimento de todos os elos da cadeia produtiva e formular políticas agrícolas”, explicou o chefe do Centro de Extensão Rural da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) em Rondônia, Alberto Quintans.

O cacaueiro, tem sua origem na Amazônia, bioma onde está o Estado de Rondônia, no qual se observam cacauais nativos em todo o seu território, daí a vocação cacaueira da região. A importância dessa cultura para o estado é tal, segundo Quintans, que no Brasão de Armas oficial encontra-se grafado um ramo de cacaueiro, com frutos maduros, indicativo da cultura nativa dessa região.

Com a demanda crescente pelo cacau e seus derivados no planeta, estima-se um déficit desta commodittie de um milhão de toneladas por década, a partir de 2020. Pelo menos 60% da produção concentra-se em países africanos, onde o nível tecnológico é incipiente, com lavouras antigas, somado ao fato da instabilidade política daquela região. Resta à Amazônia brasileira produzir o cacau que faltará em breve no mundo, o que trará grande riqueza ao país e inúmeros postos de trabalho.

As peculiaridades favoráveis para uma nova cacauicultura, tecnificada e com alta produtividade, defendida pela Ceplac, o governo Confúcio Moura determinou à Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) que participasse diretamente da criação da CS-Cacau. A adjunta da Seagri, Mary Braganhol, disse que “a criação da CS-Cacau foi baseada na Câmara Setorial do Café, que impulsionou a nossa cafeicultura e a tornou a mais importante do Brasil”.

Mary crê que as novas tecnologia desenvolvidas para o cacau de Rondônia, como a criação consorciada com outras culturas vegetais e revitalização de velhos cacaueiros, além de quadruplicar a produção do fruto, permitindo um melhor aproveitamento de cada hectare plantado, vem de encontro à política mundial de preservação do meio ambiente.
Fonte:DECOM

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here