A Polícia Federal irá envia um helicóptero para Manaus, no Amazonas, para tentar recapturar os mais de cem fugitivos da rebelião do dia primeiro de janeiro. Cem homens da Força Nacional chegam nesta terça-feira (10) ao estado.

Depois de uma semana da rebelião e do massacre em presídios de Manaus, mais de cem criminosos continuam foragidos. O governo do Amazonas solicitou o apoio de homens da Força Nacional e de um helicóptero da Polícia Federal para ajudar na captura dos foragidos. O estado irá receber também equipamentos de segurança e armas.

Em Roraima, onde também houve chacina em um presídio, autoridades se reuniram para fazer um balanço da situação no estado. Em entrevista coletiva, o diretor em exercício do Instituto Médico Legal em Roraima, Rodrigo Matoso, falou sobre a identificação dos corpos das vítimas.

Segundo o delegado geral em exercício da Polícia Civil, Marcos Lázaro, foi aberto um inquérito para apurar as mortes na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo.

O secretário de Justiça de Roraima Uziel Castro disse que na segunda-feira (9) o governo do estado voltou a pedir a ajuda do governo federal. Por meio de ofício, a governadora Sueli Campos pediu ao presidente Michel Temer e ao ministro da Justiça Alexandre de Moraes o envio de cem policiais da Força Nacional de Segurança e apoio financeiro para a conclusão de uma unidade penitenciária em Rorainópolis, no sul do estado.

O governo federal anunciou na noite de segunda-feira (9) que ajudará sete estados a combater a crise no sistema penitenciário.

O ministro da Justiça Alexandre de Moraes admitiu que os estados do Acre, Rondônia, Roraima, Amazonas, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul pediram apoio do governo federal para conter a onda de violência nos presídios.

O ministro da Justiça afirmou que há no país uma crise crônica e agora aguda no sistema penitenciário.

“Nós temos crises agudas em alguns estados. O que não leva à conclusão de que o sistema penitenciário está fora de controle. Tanto não está fora de controle que armamentos e equipamentos estão sendo cedidos e utilizados pelos estados que estão passando dificuldades. Não é só construção de presídios que resolve a crise do sistema, mas o descaso, que na última década foi tão grande que é necessária a construção”, afirma Alexandre de Moraes, ministro da Justiça.

Homens da Força Nacional começarão a atuar no Amazonas e em Roraima. Os dois estados registraram juntos quase cem mortes em presídios na última semana. Serão 100 agentes da Força Nacional em cada estado. O ministro da Justiça disse que eles atuarão no policiamento, reforçando a segurança, principalmente, nos arredores das penitenciárias. Assim, segundo Alexandre de Moraes, os estados ficam livres para deslocar polícias militares para o reforço da segurança nos presídios.

O governo federal também recebeu da governadora de Roraima Sueli Campos um pedido de quase R$ 10 milhões extras para ampliar uma penitenciária, criando 660 novas gagas. Mas o ministro da Justiça disse que o estado terá de se contentar com os R$ 32 milhões depositados no final de 2016.

Desta vez, todos os estados que pediram ajuda do governo federal serão atendidos. Para Roraima também serão enviados equipamentos e armas. Para o Amazonas, além da Força Nacional, serão enviados dez agentes do Departamento Penitenciário Nacional, que farão um diagnóstico da situação. Os agentes penitenciários serão treinados por agentes do Depen. O ministro também prometeu enviar mil tornozeleiras eletrônicas até a próxima semana.


Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here