Ex-vereador foi levado para Centro de Correição da Polícia Militar.
Defesa diz que entrou com pedido de habeas corpus e aguarda decisão.

Junior Donadon sendo preso em outubro pela PF (Foto:Ricardo Araújo/ Rede Amazônica)
Junior Donadon sendo preso em outubro pela PF (Foto:Ricardo Araújo/ Rede Amazônica)

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) concedeu ao ex-presidente da Câmara de Vereadores de Vilhena (RO), Junior Donadon (PSD), a transferência para cela especial.  O ex-vereador foi levado nesta quinta-feira (17) para o Centro de Correição da Polícia Militar, em Porto Velho. Donadon foi preso no mês passado, suspeito de lavagem de dinheiro e corrupção e mandado dele está suspenso, por ordem judicial.

Donadon é advogado, mas estava licenciado da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em virtude da função na Casa de Leis. Depois de preso, ele renunciou ao cargo de presidente da Câmara de Vereadores e voltou ao quadro da OAB.

O retorno para a instituição garante as prerrogativas da classe, como a sala de Estado Maior, e foi isso que a defesa pediu ao Judiciário. Na solicitação, os advogados alegaram que Donadon estava em uma cela com mais oito presos, na Casa de Detenção de Vilhena.

O Judiciário acatou o pedido, e por não haver cela especial no município, encaminhou o preso para a capital, com escolta da Polícia Federal. Conforme a Casa de Detenção, Donadon deixou a unidade por volta do meio-dia.

A defesa informa que entrou com pedido de habeas corpus para Junior Donadon, e aguarda a apreciação do juízo.

Investigações da PF
De acordo com a PF, as investigações começaram quando o Ministério Público Federal (MPF) soube das irregularidades, através de outras operações desencadeadas no município. As apurações apontaram que uma parcela dos vereadores participava de um esquema de aprovação de loteamentos na cidade, mediante recompensa.

Para os loteamentos serem aprovados, os parlamentares recebiam terrenos e quantias em dinheiro. Até o momento, a polícia acredita que o grupo tenha recebido mais de R$ 500 mil.O vereador José Garcia da Silva (DEM) foi o 1º a ser preso em flagrante, no dia 18 de outubro. A prisão foi realizada pela PF quando Garcia estava a caminho da Câmara de Vereadores do município.

O vereador Vanderlei Amauri Graebin (PSC) foi o 2° a ser preso, no dia 21 de outubro. Segundo a PF, ele se entregou na sede da instituição após a Justiça do estado decretar a prisão preventiva do parlamentar.

No dia 22 de outubro, o vereador Carmozino Alves Moreira (PSDC) também foi preso pela Polícia Federal. Conforme a PF, a prisão foi necessária para manutenção da ordem pública.

Dois dias depois, o presidente da câmara, Junior Donadon (PSD), foi preso em uma barreira da Polícia Federal, na BR-364. Donadon recebeu voz de prisão, e foi conduzido até a delegacia da PF em uma viatura. Depois, foi levado para exame de corpo de delito na delegacia de Polícia Civil e, em seguida, encaminhado para a Casa de Detenção do município.

Já vereador Antonio Marco de Albuquerque (PHS), conhecido como Marcos Cabeludo, foi preso no mesmo dia que o vice-prefeito, no início de novembro.

Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here