Pedreiro que matou a mãe e quatro cães diz que não está arrependido

Idosa e cachorros foram mortos com golpes de facão, em Vilhena (RO).
Na delegacia, suspeito falou com jornalistas e justificou morte da mãe.

casa_onde_aconteceu_o_crime

O pedreiro de 49 anos que matou a mãe e quatro cachorros com um facão, em Vilhena (RO), disse em entrevista coletiva que não se arrepende dos assassinatos. O crime aconteceu no domingo (7) e a vítima, Lídia Margarida Royer, de 72 anos, foi sepultada na tarde desta segunda-feira (8) no cemitério Cristo Rei. Na delegacia de Polícia Civil, o homem diz que matou a mãe para que ela não “sofresse no futuro”.

À imprensa, o suspeito disse que pensou no crime antes de realizá-lo e relatou como procedeu. “Nós estávamos lá em casa, minha mãe e eu, sentados na sala vendo televisão. Ela estava mexendo com uns fios lá. Eu percebi que dali por diante eu não poderia mais continuar aquilo, porque ela começou a chorar, pois eu não quis acompanhar uma visita dela. Então eu disse ‘é melhor parar de chorar’”, declarou.

Para evitar que a mãe “sofresse no futuro”, o pedreiro conta que cortou o pescoço de Lídia com um facão. Na ocasião, ele também matou os quatro cachorros da casa. Os corpos dos animais foram deixados ao lado da idosa.

Homicídio
O crime aconteceu no Centro de Vilhena, no domingo. De acordo com a Polícia Militar (PM), o homem confessou que matou a mãe e os quatro cães da família a golpes de facão.
A guarnição encontrou a mulher nos fundos da residência com um corte profundo no pescoço. O pedreiro foi flagrado com uma faca, do tipo peixeira, tentando se cortar. Os militares pediram na ocasião para que ele colocasse a faca no chão, mas o suspeito recusou.

Idosa foi sepultada nesta segunda-feira, em Vilhena (Foto: Rede Amazônica/ Reprodução)
Foto de RG mostra Lídia, assassinada em Vilhena no domingo (Foto: Rede Amazônica/ Reprodução)

Durante as negociações, o pedreiro investiu contra os policiais e foi baleado na perna. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros no Hospital do município. Na unidade, foram constatados arranhões no rosto, que teriam sido provocadas pela idosa, na tentativa de se defender. Ele também apresentava escoriações no braço direito, cortes no pescoço, e duas perfurações na coxa direita, resultado de um dos disparos de arma de fogo.

Após o atendimento médico, ele foi levado para a Casa de Detenção do município. O homem tem 49 anos, é pedreiro e sempre morou com pais. Ainda não se sabe se ele tem algum distúrbio mental. O caso está sendo investigado pela delegacia.

Enterro
Mais de 40 pessoas compareceram ao velório para dar o último adeus à idosa. Lídia era frequentadora assídua da igreja Nossa Senhora Auxiliadora, onde a missa de corpo presente aconteceu até às 14h desta segunda.

Segundo uma amiga da vítima, que preferiu não se identificar, apenas um parente compareceu ao sepultamento, que ocorreu às 16h, no Cemitério Cristo Rei. Lídia não tinha familiares na cidade e morava apenas com o filho. O marido morreu no final de 2015, após lutar contra um câncer.

 

 

Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here