O caso aconteceu nesta quinta (10) no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho
Ao ver mulher ser barrada, integrante do MAB desacatou PM e foi preso.

20161110_143039

Uma reunião entre membros do Governo de Rondônia e representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), nesta quarta-feira (10), terminou com um integrante do movimento preso por desacato, em Porto Velho. A prisão do homem aconteceu após após uma mulher do MAB ser barrada ao tentar entrar na reunião com uma saia curta. Com a proibição da entrada da mulher, um integrante se exaltou e desacatou a Polícia Militar.

A confusão aconteceu quando a reunião já estava em andamento. A jovem que foi barrada e o rapaz que foi preso estavam num grupo que chegou minutos depois do início do encontro. Por estar com uma saia considerada curta pela segurança do Palácio Rio Madeira, sede do governo estadual, uma das integrantes foi impedida de entrar no local.

No boletim de ocorrência, a Polícia Militar diz que houve confusão entre alguns membros do MAB com uma senhora que trabalha no prédio por causa da proibição da entrada da mulher e os policiais precisaram intervir

O rapaz preso teria desacatado uma PM e recebeu voz de prisão, sendo conduzido à Central de Polícia. Policiais civis disseram que o manifestante seria ouvido pelo delegado e liberado em seguida.

João Marcos Dutra, que integra a coordenação estadual do MAB, disse que a reunião estava em andamento quando a representante de Jaci-Paraná foi barrada na recepção por causa do tamanho da saia. Segundo ele, a alegação para proibição do acesso ao local da reunião é contraditória. “Outros visitantes e até funcionárias tiveram acesso ao prédio com saias bem mais curtas”, diz.

Sede do Governo de Rondônia Palácio Rio Madeira em Porto Velho (Foto: Angelina Ayres Medeiros/G1)
Sede do Governo de Rondônia Palácio Rio Madeira, em Porto Velho, tem normas de vestimenta para acessoa ao prédio (Foto: Angelina Ayres Medeiros/G1)

Por não concordarem com a proibição, os manifestantes passaram a fotografar quem saia do prédio com saias curtas e a PM interviu, dando início a discussão entre o rapaz e a policial militar.

“Houve troca de ofensas, ambos usaram palavras de baixo calão”, explicou João Marcos. “A prisão foi injusta e desnecessária”, avaliou.

O G1 procurou a recepção do prédio onde houve a confusão e foi informado de que existe uma norma que indica os tipos de trajes para o acesso aquele prédio

Reunião
Mesmo com a confusão, os demais representantes de Jaci-Paraná conseguiram se reunir com membros do governo. Na reunião, segundo João Marcos Dutra, o governo se comprometeu em articular uma reunião de tratativa entre o MAB, membros do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Agência Nacional de Águas (Ana) que, de acordo com o João Marcos, determinou que parte de Jaci-Paraná é considerada área de risco.

A reunião ficou agendada para o próximo dia 25, em Porto Velho. “Há a confirmação de que parte dos moradores de Jaci serão remanejados, mas  ainda não há dados sobre quantas famílias serão retiradas de suas casas”.

Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here