A greve dos caminhoneiros entrou no 8° dia em Rondônia, nesta terça-feira (29), e 95% dos postos do interior do estado estão sem combustível. Somente a capital Porto Velho, que tem 125 postos, está abastecida normalmente com gasolina e diesel.

De acordo com dados do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Rondônia (Sindipetro-RO), o estado tem atualmente cerca de 600 postos de combustível. Deste total, 475 ainda estão sem abastecimento de algum tipo de combustível.

Além da falta de combustível, a greve afetou também os trabalhadores dos postos. Segundo dados do sindicato, 8 mil trabalhadores estariam parados e esperando o retorno de combustível.

Caminhões escoltados

Uma das cidades afetadas pela greve dos caminhoneiros é Cacoal. Segundo Eduardo Valente, secretário executivo do Sindipetro, um comboio está sendo montado em Cacoal nesta terça-feira para ir até Porto Velho em busca de gasolina e diesel.

“A gente está convidando os donos de postos do interior para que eles montem comboio e venham até Porto Velho, e assim os veículos sejam escoltados na volta até as cidades do interior do estado. Então os donos de postos com interesse em repor o estoque é só entrar em contato com o Sindipetro”, diz.

O Sindipetro diz que a Secretaria de Segurança Pública vai ajudar na escolta das carretas com combustível.

Um comboio de 60 caminhões foi montado na tarde desta terça em frente ao posto da PRF em Porto Velho, com cargas de combustível, alimentos perecíveis em sua maioria, com destino ao interior do estado.

Os caminhões tiveram escolta de viaturas da Polícia Rodoviária e do Exército. Segundo a PRF, não há informações de que os manifestantes tenham obrigado caminhoneiros a parar o veículo, mas a escolta é feita aos profissionais que têm receio de passar pelo bloqueio.

Na última segunda-feira (28), cerca de 20 carretas saíram escoltadas para o interior com combustível, mas este número não chega a 5% de abastecimento.

Normalização do abastecimento

O abastecimento de combustível está normal desde o fim de semana em Porto Velho. Segundo Eduardo Valente, a área urbana de Porto Velho e os distritos têm 125 postos. “O abastecimento nestas unidades voltou ao normal, pois a base está liberada”, diz.

O mototaxista Vilson Araújo, de 41 anos, já conseguiu voltar ao trabalho após o abastecimento ser normalizado na capital. Ao G1, ele contou que tinha ficado parado por quase uma semana.

No entanto, o mototaxista afirma que, mesmo após a gasolina ter retornado as bombas dos postos, ele acabou pagando um pouco mais. “Cheguei a pagar R$ 4,48 por litro nessa segunda-feira (28)”, afirma o mototaxista.

Mototaxista fala que pagou quase R$ 4,50 no litro (Foto: Pedro Bentes/G1)
Mototaxista fala que pagou quase R$ 4,50 no litro (Foto: Pedro Bentes/G1)

Guajará-Mirim, na fronteira com a Bolívia, também continua com o abastecimento normal. A cidade tem cinco postos e um deles acabou a gasolina nesta terça-feira.

Protestos

As rodovias federais e estaduais de Rondônia seguem sem bloqueios nesta terça-feira, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O tráfego de veículos está normal pela BR-364, principal via do estado.

Os caminhoneiros grevistas estão apenas concentrados em postos de combustíveis da cidade, onde exibem faixas pedindo intervenção militar.

Em Candeias do Jamari, os caminhoneiros estão parando os caminhões nas margens da rodovia e os veículos “retidos” estão sendo estacionados no pátio de um posto.

Os pontos de manifestação continuam também em postos do Km 511, da BR-364, perímetro urbano de Ariquemes (RO) e próximo ao trevo de Cujubim (RO).

Falta de gás

A cidade de Vilhena, a 700 quilômetros de Porto Velho, foi atingida pela falta de gás. Em vários estabelecimentos existem ‘recados’ avisando ao público que não tem mais botijões.

Cartaz aponta falta de gás em Vilhena (Foto: Jonatas Boni/G1)
Cartaz aponta falta de gás em Vilhena (Foto: Jonatas Boni/G1)

Além do gás, a cidade sofre com a falta de gasolina e diesel nos postos. Todo combustível dos postos são transportados de Porto Velho pela BR-364, mas os caminhões não estão indo até a cidade por causa da greve dos caminhoneiros.

Serviços no estado

  • O transporte público de Porto Velho está normalizado desde o começo da semana.
  • A Eletrobras informou que o abastecimento de energia segue normal nas cidades com termoelétricas.
  • Alguns mercados de Porto Velho registram falta de verduras e frutas por causa da greve dos caminhoneiros.
  • O voos em Porto Velho seguem operando normalmente no aeroporto Governador Jorge Teixeira.
  • O porto de grãos da capital está totalmente fechado por conta da greve.
  • Em Ariquemes, escolas rurais continuam sem aulas nesta terça-feira.
  • Na cidade de Guajará-Mirim o fluxo de turistas caiu 30%, pois os motoristas não conseguem chegar na fronteira por causa da falta de combustível.

Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here