Evento de lançamento do iPhone 6s no Brasil tem clima de velório

id150974_1

Comparar o evento de lançamento do iPhone 6s com um enterro pode parecer forte para alguns usuários, mas é preciso relembrar a pompa das festas que eram realizadas há apenas alguns anos, com filas que se formavam até dias antes e faziam várias curvas em corredores de shoppings ou ruas movimentadas. Como noticiamos mais cedo, o novo smartphone high-end da Apple está oficialmente disponível em solo verde e amarelo por exorbitantes valores a partir de R$ 4 mil (a versão com apenas 16GB de espaço para armazenamento interno). E esse pode ter sido o principal motivo para a fraquíssima recepção.

Essa é, definitivamente, uma “sexta-feira 13” para a Apple no Brasil. Além dos altos valores para a linha iPhone 6s, vazados com alguns dias de antecedência, também temos a atual situação financeira e política do país, com moeda desvalorizada e dólar nas alturas, total instabilidade e risco de impeachment da presidente Dilma, além da provável cassação de mandato do presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha. Ingredientes que afastaram os fãs da marca de Cupertino das Apple Stores tupiniquins.

Charge sobre a implantação de mais impostos

A Apple Store Morumbi, em São Paulo, abriu as portas com uma fila de apenas 20 pessoas, sendo que quase metade era de jornalistas e fotógrafos interessados apenas em registrar o fiasco. O primeiro usuário a comprar o iPhone 6s na referida loja, o engenheiro Marcos Tomazzini, 36, disse que já “sabia que ia ser miado” e completou em entrevista ao Gizmodo Brasil; “Só estou comprando [dois iPhone 6s Plus de 64GB] pois já consegui vender o meu iPhone 6 e o da minha esposa por R$ 3.000 cada. Só estou inteirando para comprar esse mais novo”. Tomazzini disse ainda que “se não fosse isso, dificilmente compraria o telefone por aqui. Está muito caro”.

Para os que não tiveram acesso as informações sobre os preços, temos o iPhone 6s em quatro cores distintas – prateado, cinza espacial, dourado e ouro rosa – com preço inicial de R$ 4 mil (16GB) até R$ 4,9 mil para o modelo Plus com 128GB e tela de 5,5 polegadas. Valores que afastam os potenciais compradores e atraem apenas aqueles que conseguem se desfazer de um modelo anterior sem perder muito na revenda.

Festa na Apple Store Morumbi em outras eras vs. atualmente

Mesmo sendo a empresa mais valiosa do mundo, parece que o jogo está virando contra a Apple, pelo menos aqui no Brasil. E nem mesmo a evolução nos recursos foi capaz de reverter o triste quadro, relembrando que os novos igadgets contam com processadores mais rápidos, mais memória RAM, um corpo reforçado (contra o bendgate), a Touch ID duas vezes mais rápida na leitura biométrica e, pela primeira vez em alguns anos, a atualização na câmera traseira que passa dos 8MP para 12MP, com sensor frontal de 5 megapixels. Fecha o pacote o novo recurso 3D Touch, que permite reconhecer o nível de pressão do toque na tela para acionar diferentes ações em aplicativos ou jogos.

E você, esteve em alguma das Apple Stores no Brasil durante esta sexta-feira? Como foi o movimento? Também faz parte do pequenino grupo que revendeu aparelhos antecessores para adquirir o novo iPhone 6s ou vai manter a esperança de que dias (e preços) melhores virão?

 

 

Fonte: Tudocelular

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here