Consumidores amanheceram bombardeados de ofertas da sexta-feira (27), dia da tão esperada “Black Friday”. Apesar de a animação contagiante, nem sempre as promoções divulgadas pelas redes são reais.

O casal Márcio Fontanezi e Vivian Serafim estão montando o apartamento e, portanto, de olho nos preços de eletrodomésticos, eletrônicos e móveis.

Na semana passada, compraram um fogão por R$ 849. A mesma peça está sendo anunciada nesta semana por R$ 1.199, ou seja, o produto está 40% mais caro.

Os dois também viram o preço de um depurador de ar subir de R$ 199 para R$ 296,91.

Outro casal, Talita e Marcos Zocaratto, está monitorando o preço do ar-condicionado há um tempo. Viram o equipamento sendo comercializado R$ 2.699, no dia 14 de novembro, e nesta semana por R$ 3.229.

A consumidora Gisele Bonaroski acompanhou os preços dos pacotes e viagem durante meses ants da Black Friday.

O pacote de sete dias para Maceió (AL), com hotel e hospedagem, custava em torno de R$ 900 até a semana passada. O mesmo valor está sendo oferecido para um pacote de quatro dias, ou seja, três dias a menos.

Procon-SP dará atendimento especial nesta sexta-feira

Procon-SP criou um espaço em seu site para atender as reclamações referentes às promoções da Black Friday promovida hoje.

Todas as queixas registradas serão enviadas imediatamente para o fornecedor, que terá até dez dias para dar uma solução ao consumidor.

Ao entrar no site do Procon, o consumidor terá acesso a uma janela específica para fazer a reclamação sobre problemas relacionados à Black Friday.

Lá será possível informar, entre outras queixas:

• Maquiagem de desconto;
• Mudança de preço ao finalizar a compra;
• Pagamento com boleto bancário indisponível;
• Pedido cancelado após a conclusão da compra;
• Casos de demora ou falta de entrega do produto ou serviço;
• Produto ou serviço com defeito.



Fonte: R7

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here