Luis Arce, candidato do partido do ex-presidente da Bolívia Evo Morales, pode vencer as eleições bolivianas do mês que vem já no primeiro turno, com a oposição a ele fragmentada entre partidos rivais, apontou uma pesquisa de opinião publicada nesta quarta-feira (16). 

A pesquisa de grande escala da Fundação Jubileo, conduzida por universidades e organizações de imprensa, apontou que 40,3% dos eleitores votariam nas eleições do dia 18 de outubro no Movimento para o Socialismo (MAS), cujo candidato presidencial é Arce.

O candidato é ex-ministro da Economia do país e leal a Morales. 

O ex-presidente Carlos Mesa aparece em segundo na pesquisa –que não leva em conta os indecisos– com 26,2% das intenções de voto, enquanto a atual presidente interina, Jeanine Áñez, ficou em terceiro, com 10,6%. 

Para evitar a realização de um segundo turno, o vencedor do pleito precisa de pelo menos 40% dos votos válidos no primeiro, e de uma vantagem de pelo menos 10 pontos para o segundo colocado.

A pesquisa foi conduzida entre os dias 3 e 7 de setembro e entrevistou 15.979 pessoas em todo o país, com um nível de confiança de 95%, de acordo com seus realizadores, uma aliança de mais de 20 organizações bolivianas. 

Na semana passada, uma pesquisa da empresa de consultoria e estatísticas Ciesmori apontou que o MAS estaria a 3 pontos de obter uma vitória eleitoral no primeiro turno.

Se a disputa precisar de um segundo turno, Mesa pode vencer caso consiga convencer apoiadores dos outros candidatos a apoiá-lo, segundo analistas.

Observadores internacionais

A Organização dos Estados Americanos (OEA) anunciou nesta quarta-feira (16) que enviará uma missão de observação eleitoral às eleições gerais na Bolívia, marcadas para 18 de outubro.

A entidade com sede em Washington explicou em nota que a missão, chefiada pelo ex-chanceler da Costa Rica, Manuel González, será composta por mais de 30 especialistas que serão destacados em cidades como La Paz, Santa Cruz e Cochabamba, além de “monitorar votação no exterior na Argentina, Espanha e Estados Unidos”.

Segundo a OEA, o “grupo de base” da missão chegará à Bolívia nos dias anteriores às eleições e, durante sua estada, “se reunirá com autoridades eleitorais, representantes governamentais, partidos políticos, candidatos e representantes da sociedade civil. sempre com estrita observância dos protocolos de saúde, incluindo distância física e uso de máscaras”, devido à pandemia covid-19.



Fonte: R7

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here