Bebê de sete meses pode ter sido estuprada pelo tio em RO

Vagina da menor estava suja e sangrando, além de apresentar mau cheiro.
Laudo médico para confirmar o crime ficará pronto na próxima sexta(15).

delegacia_de_policia_civil_de_sao_francisco

A Polícia Civil de São Francisco do Guaporé (RO), município da Zona da Mata, investiga um possível estupro a uma menina de sete meses de vida. A violência sexual foi cometida no dia 8 de abril e pode ter sido praticada pelo próprio tio da menor, um homem de 22 anos.

A criança passou por exames médicos e o laudo para confirmar o possível crime deverá ficar pronto na manhã da próxima sexta-feira (15).

Segundo consta no Boletim de Ocorrência (BO), a cuidadora da criança procurou o Conselho Tutelar, após perceber que a vagina da menor estava suja e sangrando, além de apresentar mau cheiro.

Ao chegar à residência, a conselheira conversou com a mãe, uma jovem de 28 anos, e informou o motivo da visita. Ambas seguiram para o hospital para que a pequena passasse por exames médicos.

Ao ser examinada, o médico plantonista confirmou que devido às lesões havia fortes indícios de que a criança teria sido vítima de abuso sexual.  No boletim consta que enquanto falava com a equipe do Serviço de Investigação, a mãe da criança disse que esteve o tempo todo com a filha. Porém, durante a conversa, ela desmaiou e quando voltou à consciência, ainda dentro da ambulância, afirmou ao policial, ao socorrista e ao motorista que seu irmão já havia molestado seu outro filho de 10 anos e sua sobrinha de seis.

A mãe também contou que havia encontrado sêmen em sua filha de sete meses, e que lavou antes da chegada do Conselho Tutelar em sua residência. A criança foi encaminhada para São Miguel do Guaporé, onde realizou exame de conjunção carnal.

Segundo o escrivão da Polícia Civil de São Francisco do Guaporé, Flávio Medeiros, a mãe, os dois filhos e a sobrinha moravam juntos com o irmão, suspeito do estupro. O policial informou também que todos foram encaminhadas para que ficassem sob os cuidados do abrigo municipal.

 

 

Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here