Os aeroportos de Rondônia perderam 176 mil passageiros pagos entre janeiro e maio de 2020, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em comparação com o mesmo período do ano passado, a redução no número passageiros que embarcaram e desembarcaram no estado já chega a 45,8%.

Entre janeiro e maio do ano passado, os aeroportos de Rondônia receberam 385.454 passageiros. Já nos cinco primeiros meses deste ano foram 208.780 viajantes, concentrados nos seguintes aeroportos:

  • 171.617 passageiros pagos em Porto Velho;
  • 14.647 em Ji-Paraná;
  • 13.735 em Cacoal;
  • e 8.781 em Vilhena;

Apesar do número de passageiros estar abaixo do esperado desde o começo de 2020, abril e maio foram os dois piores meses para a aviação rondoniense, segundo a Anac. A queda chegou a 92,1% no mês de abril, e a 89% em maio.

Os dados da Anac apontam que, em abril de 2019, Rondônia teve 70.849 passageiros em um único mês; já em abril de 2020 foram apenas 5.627 viajantes (veja o gráfico abaixo).

O último mês de maio também foi crítico: foram apenas 7.801 viajantes, ante 71.048 passageiros no mesmo mês do passado.

A redução ‘drástica’ no número de passageiros foi puxada pela crise do novo coronavírus, mostrando os efeitos das medidas de isolamento social para conter a pandemia.

O impacto da pandemia no setor de aviação no Brasil está sendo tão intenso que o mercado deve recuperar o índice de passageiros pré-coronavírus apenas em 2023, segundo estimativa das próprias companhias.

Sala de embarque do aeroporto de Porto Velho — Foto: Infraero/Divulgação

Sala de embarque do aeroporto de Porto Velho — Foto: Infraero/Divulgação

Pousos e decolagens em Rondônia

Não foi só a quantidade de passageiros que caiu nos cinco primeiros meses de 2020. Os pousos e decolagens reduziram mais de 47% por causa da Covid-19.

Entre janeiro e maio de 2019 foram 3.588 pousos/decolagens em Rondônia, enquanto que neste ano ocorreram 1.888, segundo a Anac.

Suspensão de voos no interior

As cidades de Vilhena, Cacoal e Ji-Paraná devem ter uma redução ‘alarmante’ no número de passageiros neste primeiro semestre de 2020. Isso porque a Azul, única companhia que opera no interior, retirou seus voos diários alegando adversidades nos aeroportos.

Em Vilhena, segundo a empresa, há problemas na cerca do aeroporto e existe o risco de animais invadirem a pista de pouso/decolagem. Já para Cacoal e Ji-Paraná a empresa pede um sistema de pouso ou aterragem por instrumentos.

O governo de Rondônia informou, na última semana, já estar realizando os reparos necessários em Ji-Paraná, para que assim os voos sejam restabelecidos.

  • Anac
  • Azul
  • Cacoal
  • Gol
  • Ji-Paraná
  • Latam
  • Porto Velho
  • Rondônia
  • Vilhena


Fonte: G1

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here