A Polícia Civil informou que o jovem, de 17 anos, suspeito de ter assassinado e incendiado o quarto da adolescente Camila Sacoman de Oliveira, também de 17 anos, em Buritis (RO), no último sábado (13), disse em depoimento informal que estava na cena do crime.

Mas, segundo a polícia, no interrogatório formal e já com a presença do advogado, o rapaz ficou em silêncio. Mesmo assim, por meio das informações obtidas com as testemunhas, o menor foi apreendido e encaminhado ao Centro Socioeducativo (Cesea) de Ariquemes (RO).

Os policiais investigam o que teria motivado o assassinato e se há a participação de outras pessoas.

De acordo com o delegado regional Rodrigo Duarte, o suspeito é o namorado de uma amiga de Camila, que foi retirada de uma festa após ter sido ameaçada por ele. Mais de 15 testemunhas foram ouvidas e fizeram com que o inquérito fosse destinado à conduta do adolescente.

“Em razão dos indícios serem fortíssimos, ele já foi autuado em flagrante. Foi lavrado um auto de apreensão, em razão de um suposto ato infracional de homicídio e esse adolescente foi recolhido ao Cesea. Alguns detalhes foram dados de modo informal, que o colocavam na cena do crime, a partir daí, tudo começou a evoluir em cima dele”, relatou o delegado.

Conforme Duarte, um segundo inquérito será instaurado para apurar a eventual participação de uma segunda pessoa no assassinato, sendo um maior de idade.

Segundo Polícia, informações iniciais eram de que havia acontecido um incêndio acidental. — Foto: WhatsApp/Reprodução

“Vamos ter que abrir um inquérito paralelo para apurar uma eventual coautoria e no prazo de 30 dias concluir tudo isso para chegar a uma conclusão. Agora, em cima dos detalhes do quê que de fato poderia ter motivado o homicídio e da participação ou não de uma segunda pessoa”, detalhou o delegado.

Outro fator importante na investigação é descobrir a causa da morte de Camila. A polícia aguarda pelos laudos dos exames tanatoscópicos, que devem ser diagnosticados em 10 dias, para tentar chegar a uma conclusão sobre o que teria acontecido dentro do quarto da vítima.

“Precisamos verificar se ela morreu em razão da asfixia mecânica ou do incêndio. Isso vai depender da abertura da caixa torácica da vítima para verificação no pulmão se ela inalou a fumaça. Vamos aguardar porque isso estabelece uma qualificadora. Vamos precisar de outras diligências para saber de fato o que ocorreu no interior do quarto”, explicou Rodrigo Duarte.

O caso

O corpo de Camila Sacoman de Oliveira foi encontrado carbonizado na madrugada do último sábado (13), em cima da cama do quarto do imóvel em que morava, que fica nos fundos da residência da avó, no Setor 3 de Buritis.

Vítima morava em uma edícula, que fica nos fundos da casa da avó — Foto: WhatsApp/Reprodução

Segundo a Polícia Civil, as informações iniciais eram de que havia acontecido um incêndio acidental.

“A perícia foi acionada e, ao chegar lá com os agentes de polícia, a família queria desfazer o local e remover o corpo da vítima, mas houve a necessidade de uma intervenção para que não ocorresse. Em sequência, um dos policiais verificou que no pescoço dessa vítima havia enroscado um fio similar ao de um secador de cabelo ou telefone celular e aí levantou a hipótese de homicídio”, contou Rodrigo Duarte.

Após o trabalho pericial, a Polícia Civil iniciou as diligências no intuito de apurar o que a vítima havia feito horas antes do incêndio. Conforme o que foi apurado inicialmente pelas autoridades, Camila estava em uma festa na noite de sexta-feira (12) com uma amiga. Mas em determinado momento, a companheira da jovem e o namorado dela começaram uma discussão.

“A Camila interveio na discussão do casal, onde ainda não está claro se houve ou não agressão no local. Houve sim a ameaça desse namorado à amiga da vítima e ela teria retirado a amiga daquele ambiente e foram embora”, disse o delegado.

De acordo com a Polícia Civil, após saírem da festa, as duas foram seguidas pelo adolescente, que começou a fazer algumas buscas para localizar a namorada dele, onde resolveu ir até a casa da Camila. A namorada do suspeito havia sido levada para casa por uma outra pessoa.

Homenagens

Pai de Camila emocionado ao lado do túmulo da filha. — Foto: WhatsApp/Reprodução
Pai de Camila emocionado ao lado do túmulo da filha. — Foto: WhatsApp/Reprodução

Em sinal de luto, internautas fizeram homenagens à jovem nas redes sociais da vítima, que foi eleita Garota Rodeio da Exposição Agropecuária de Buritis (Exporbur) em 2018, e desejaram conforto à família dela. “Estou sem acreditar. Que Deus tenha um anjo no céu”, disse uma usuária em um dos perfis pessoais de Camila.

“Eu ainda não consigo acreditar. Como é possível uma pessoa tão especial deixar esse mundo sem aviso?”, apontou outro usuário.

Em uma postagem na página de adolescente, o pai de Camila também lamentou a morte da filha.

“Filha honrada, querida, boa filha, boa irmã, amiga de muitos. O que nos resta é saudade. Fica aqui hoje um pai triste, machucado, mas orgulhoso pela breve passagem da minha filha por esse mundo”, externou Dirceu de Oliveira.

O corpo de Camila Sacoman de Oliveira foi sepultado na manhã do último domingo (14), em Buritis.


Fonte: G1

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here