Uma mulher de 59 anos, moradora da Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi absolvida pela Justiça por matar o marido em 2007, de quem era vítima de agressões e maus-tratos.

Segundo o processo, o carcereiro Wagner Bispo Brata, de 47 anos, foi morto pela mulher com um tiro na cabeça, disparado por sua própria arma. Após o crime, a mulher chegou a deixar um bilhete para os filhos em que escreveu que “o pesadelo acabou” e fugiu em seguida.

Testemunhas, os filhos e a própria mulher foram ouvidos e relataram as agressões que ocorriam havia mais de 30 anos. O marido, inclusive, já teria cortado os cabelos da mulher com um facão, além de outras agressões e xingamentos categorizados como rotineiros.

O Ministério Público pedia a condenação dela por homicídio privilegiado, quando o crime é realizado após uma emoção ou provocação injusta, que é considerado para reduzir a pena de homícidio.

Entretanto, diante dos relatos, os sete jurados que participaram do Tribunal do Júri, que ocorreu em 18 de junho no Fórum de Praia Grande, decidiram por unanimidade pela absolvição.

Fonte: R7

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here