Com apenas dez meses, a pequena Dominique já enfrentou uma situação de vida ou de morte, ao vir ao mundo com quatro pernas e duas colunas vertebrais.

Originária da Costa do Marfim, a criança nasceu com uma condição médica rara: tinha um gémeo parasita no corpo, de modo que a metade inferior do irmão gémeo, que não se desenvolveu na totalidade, se formou nas costas dela e dependia inteiramente do corpo dela.

De acordo com a CNN, no início de março, Dominique (cujo apelido não é divulgado por razões de privacidade) viajou para Chicago, nos EUA, para ser submetida a uma intervenção cirúrgica de risco num hospital pediátrico, o Advocate Children’s Hospital. Cinco cirurgiões e mais de 50 profissionais de saúde ajudaram a realizar o que se pode chamar um verdadeiro milagre.

“O principal risco era a paralisia. A sua anatomia fazia com que qualquer pressão ou movimento ligeiramente abrupto na parte superior do corpo acabasse com a sua capacidade de se movimentar”, explicou John Ruge, pediatra e neurocirurgião do hospital.

De acordo com os médicos, a condição física da menina não só lhe colocava em perigo a mobilidade como obrigava o pequeno coração e os pulmões a desempenhar as funções a dobrar, encurtando-lhe a esperança de vida.

Agora, o sorriso radiante de Dominique confirma o sucesso de uma operação realizada a 8 de Março, que durou mais de seis horas, e em que lhe removeram as duas pernas extras. Quanto à coluna vertebral dupla, os cirurgiões realizaram um processo de reconstrução que irá permitir à menina viver uma vida normal.

A 13 de Março, a criança recebeu alta do hospital e está em convalescença junto de uma família de acolhimento, em Chicago.

“Eu vi uma foto de Dominique com a mãe e senti uma empatia muito grande, pensei que era uma mãe muito corajosa para enviar a filha para outro continente para ser tratada”, afirmou Nancy Swabb, que se tornou temporariamente a mãe adotiva da menina em Chicago.

Swabb contou à CNN que tomou conhecimento do caso através de uma organização sem fins lucrativos.

Para Mara Swabb, filha adotiva Nancy, este ato de amor é uma lição de vida.

“Isto ensina-me a ter compaixão com as pessoas que podem ser diferentes de mim e que podes ser uma pessoa boa com pessoas que não conheces”, referiu a menina de nove anos.

Dominique deverá regressar a África dentro de duas semanas, onde voltará para junto dos pais e dos irmãos que aguardam pelo seu regresso rápido a casa.

Fonte:tvi24.iol.pt

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here