Em mais uma mostra de que a campanha eleitoral de 2018 já começou, as agendas dos pré-candidatos está intensa. Hoje, tanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato declarado, como o prefeito de São Paulo João Doria(PSDB-SP), que nega a candidatura, têm agenda pela região Nordeste. Doria vai a Pernambuco e Ceará, onde se encontra com representantes do grupo LIDE, do qual é presidente, e palestra para empresários e políticos, enquanto Lula segue sua caravana pela Bahia.

Com suas viagens, Doria tenta ganhar capilaridade pelo país – justamente a principal crítica feita nos bastidores pelo seu padrinho político e também interessado na vaga de candidato do PSDB à presidência em 2018, o governador paulista Geraldo Alckmin. Em Pernambuco, deve receber apoio do empresário Paulo Soares, um dos sócios da Baterias Moura, que pode ser candidato ao governo do estado. No Ceará, se encontrará com Tasso Jereissati, presidente interino do PSDB.

O objetivo, claro, é rivalizar com Lula e sua caravana, além de tornar-se conhecido no principal reduto eleitoral do petista. Por outro lado, o prefeito da maior cidade do país passou a receber intensas críticas pelo fato de estar longe da administração municipal. Só nesta semana, ele já esteve em outro estado do Nordeste, o Rio Grande do Norte, e também foi ao Tocantins; na última semana, esteve em Salvador; em breve deve ir à Paraíba. Doria diz não ver problema ficar fora de São Paulo em dias úteis e afirma que pode governar a cidade à distância graças à “tecnologia”. Seja lá o que isso quer dizer.

Enquanto isso, Lula começou ontem seu tour por cidades do Nordeste – que deve se estender até dia cinco de setembro – com presença de diversos outros políticos petistas. A intenção do ex-presidente é mostrar que está vivo politicamente, mesmo depois da condenação pelo juiz Sergio Moro. No entanto, os adversários não estão dispostos a deixá-lo passar essa imagem facilmente.

Ontem, um juiz da Bahia suspendeu a entrega do título de doutor honoris causa que o ex-presidente receberia hoje da Universidade do Recôncavo Baiano (UFRB), a pedido de um vereador do DEM de Salvador, que alegou desvio de finalidade na outorga. Esse não foi o primeiro e nem será o último obstáculo de Lula durante a caravana. Os blocos, tanto do petista como do tucano, já estão na rua.


Fonte: Exame

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here