Um homem acabou preso no último domingo (6) após causar terror entre os familiares. Segundo registro de ocorrência da Polícia Militar (PM) local, o suspeito chegou a cortar a mão da irmã e tentar atear fogo no carro da família usando uma botija de gás. O caso aconteceu em Alto Paraíso (RO), município a pouco mais de 200 quilômetros de Porto Velho.

À polícia, a família disse que o suspeito chegou em casa sob o efeito de drogas gritando por seu padrasto. Ao ouvir seu nome, a vítima contou que correu junto com a esposa e a sobrinha e se trancou com elas dentro da casa. O suspeito chegou a tentar a arrombar uma porta e usou uma cadeira para quebrar uma das janelas da residência.

Conforme o boletim, o padrasto informou ter fugido pela porta dos fundos da casa. Na rua, a vítima lembrou que foi perseguida pelo enteado. Não conseguindo alcançar o padrasto, o suspeito retornou e quebrou as janelas traseiras da caminhonete da família.

Em seguida, o homem entrou na casa e tentou agredir a própria mãe, mas acabou impedido pela prima, que gritou por socorro. As duas mulheres conseguiram sair do local e buscaram abrigo em um bar próximo.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, o suspeito cortou a mangueira da botija de gás da família e a levou para rua, onde ateou fogo com um objetivo de queimar as roupas e a caminhonete do padrasto.

Com a chegada dos policiais, o homem correu pulando o muro dos fundos da residência. Uma irmã do suspeito disse aos policiais que o agressor estava com uma faca e a agrediu. Ele também disse que iria matá-la.

Após as ameças, o homem fez um corte na mão direita da garota e se desfez da arma. Depois disso, a polícia realizou patrulhamento pelas ruas da cidade e o suspeito acabou localizado em um bar.

O homem, segundo os policiais, não reagiu a prisão e precisou ser levado ao Hospital de Pequeno Porte de Alto Paraíso para atendimento médico, pois tinha lesionado o braço esquerdo.

Toda a família precisou comparecer à Central de Flagrantes, na Unidade de Segurança Pública (Unisp) de Ariquemes, cidade próxima, onde o crime foi registrado como lesão corporal.


Fonte: G1

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here