A falta de chuva contínua está preocupando os produtores de soja do Cone Sul de Rondônia, maior região produtora do grão no estado. Isto porque o mês de novembro já começou e muitos produtores não conseguem fazer o plantio.

Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Cerejeiras (RO), Jair Gollo, a chuva no município tem caído de forma ‘espaçada’, ou seja, está chovendo em pequenas áreas e, com isso, a maioria dos produtores não pode semear a soja.

À Rede Amazônica, o sindicato afirma não ter projetado o impacto financeiro que o plantio tardio da soja vai causar na economia do estado. Porém, a entidade estima que ocorra uma queda na safra em 2020.

Outro impacto que a falta de chuva deve trazer ao Cone Sul é quanto ao cultivo do milho safrinha em 2020, já que que o plantio deve ocorrer também fora do período da janela de semeadura.

O plantio da soja já está liberado desde 15 de setembro, quando encerrou o vazio sanitário nas lavouras de Rondônia.

Previsão do tempo para Cerejeiras

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) diz que as chuvas devem seguir “espaçadas” nos próximos dias em Cerejeiras. Apenas a partir de 11 de novembro que a chuva deve cair de forma ininterrupta.

Falta de chuva no estado vizinho

A falta de chuvas também está afetando as lavoura em Mato Grosso, estado vizinho considerado o maior produtor de soja do país.

As chuvas instáveis forçaram os agricultores a correr contra o tempo para conseguir cultivar a segunda safra.


Fonte: G1

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here