Sicoob gif

Presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann reafirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o dia 7 de abril, será candidato do partido à Presidência neste ano. A informação foi divulgada ontem à noite, durante discurso em ato que marcou o primeiro mês da detenção do petista, realizado no Centro de São Bernardo.

A fala foi disparada a centenas de militantes duas semanas depois de o ex-presidente liberar o PT, em carta, a tomar qualquer decisão sobre o futuro de sua candidatura e após o ex-governador Jaques Wagner (PT), da Bahia, defender aliança com Ciro Gomes (PDT). “As pessoas começam a perguntar: ‘Mas o Lula pode ser candidato? Ele está preso’. E aí começa também uma especulação da turma da direita, da imprensa, da mídia golpista, dizendo que o Lula não pode ser candidato. Isso é mentira. O Lula pode e vai ser o nosso candidato a presidente”, afirmou a líder da legenda.

Gleisi disse ainda que Lula “está em pleno exercício dos seus direitos políticos” e que pode ser candidato “mesmo se o mantiverem na Polícia Federal”, em Curitiba (Paraná), pois tem respaldo legal para estar nas urnas em outubro. Para explicar à militância que há embasamento jurídico para sustentar a candidatura de Lula, a senadora citou o artigo 26º-C da Lei da Ficha Limpa, que permite ao candidato condenado por órgão colegiado disputar as eleições sub judice. “É com base nisso que Lula vai disputar”, emendou, ao relembrar que, nas eleições municipais de 2016, vários candidatos a prefeito tiveram o direito de concorrer mesmo com as chapas impugnadas.

A presidente nacional do PT falou também sobre “frente” com os partidos de esquerda, embora não tenha apelado publicamente pela união das siglas em torno da candidatura de Lula, como tem feito diversos dirigentes do petismo. “Temos dito a essa aliança que uma das coisas que precisamos lutar, além da nossa democracia e da nossa soberania, é pelo direito de Lula ser candidato. Porque se o Lula não tiver direito de disputar as eleições, não é um direito dele como pessoa que estará sendo questionado, mas de parcela expressiva da população brasileira, que já disse que quer votar no Lula. Nós temos que garantir e assegurar esse direito dessas pessoas se manifestarem eleitoralmente.”

Presidente do PT paulista, o ex-prefeito Luiz Marinho, de São Bernardo, antecedeu Gleisi no microfone e, em breve discurso, também reforçou que Lula será o presidenciável do PT. “Lula disse que é candidatíssimo a presidente”, frisou, ao incitar gritos de “Lula inocente” e “Lula presidente”.

Convocado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o ato começou por volta das 17h e reuniu diversos movimentos sindicais e sociais, além de parlamentares do PT na região. No início da noite, os militantes saíram em passeata, pela Rua Marechal Deodoro, até a Praça da Igreja Matriz, no Centro. Por conta do movimento, o trânsito na região central da cidade ficou paralisado. O número de presentes não foi divulgado.

Lula foi preso após condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. 


 

Fonte: Diário do Grande ABC 

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here