O desconto de R$ 0,46 anunciado pelo Governo Federal para o litro do diesel ainda não chegou às bombas nos postos de combustíveis de Rondônia. De acordo com pronunciamento do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, na última quarta-feira (30), as regras que o governo adotaria para assegurar a diminuição no preço do litro do diesel, nos postos, valeriam a partir desta sexta-feira (1º).

Gerentes de três postos de combustíveis de Porto Velho explicaram que o desconto dado aos postos, nas refinarias, foi de apenas R$ 0,20. “Ou seja, como poderemos dar um desconto maior que o obtido. Não podemos vender mais barato do que compramos”, justificou um gerente de posto.

Para não sofrer sanções, alguns postos vão parar de vender diesel até que o impasse seja resolvido e as refinarias cumpram o que foi anunciado pelo Governo Federal. “Acho que até amanhã (sábado) essa questão deva ser resolvida”, explicou outro gerente.

A direção do sindicato dos postos de combustíveis (Sindipetro) disse ao G1 que, ainda nesta sexta-feira, se reunirá com o representante do programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) para que os donos de postos não sejam prejudicados e para que haja flexibilização na fiscalização até que o Governo viabilize o desconto.

“Tem muito posto que ainda está trabalhando com o estoque antigo. Esse desconto só deve valer para o estoque novo, se vier com o desconto”, explicou a direção do Sindipetro/RO.

Em Cacoal, o desconto também não foi sentido por consumidores. Na cidade, o diesel comum custa de R$ 3,9 a R$ 4,15.

Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, foi a única cidade que os preços nas bombas de combustível começaram a operar com o desconto de R$ 0,46. Porém, os condutores encontra diferença entre os valores na área urbana e no eixo da BR-364.

Dentro da cidade, os preços variam entre R$ 3,65 a R$ 4,04. Já no perímetro urbano da rodovia federal, os valore variam de 3,75 a 3,96.

Consumidor

Quem procurou o diesel já com desconto, criticou. Em alguns postos houve uma queda no preço, mas não chegou a R$ 0,20. “A gente fica frustrado né. O governo anuncia uma coisa e, na prática, é outra”, lamentou o garimpeiro Vanderlei José de Oliveira, que, segundo ele, chega a comprar 850 litros de diesel por mês.

O advogado Ideildo Martins, que também procurou diesel na manhã desta sexta-feira, disse que compreende a situação, mas que espera uma queda no preço do combustível até segunda-feira (4). “O governo tem limitações e o trâmite para que as coisas aconteçam é burocrático”, comentou.

Desconto

Segundo Carlos Marun o desconto deve valer a partir do momento em que o posto for abastecido. De acordo com o anunciado pela presidência, o governo firmará acordo com a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis) para garantir o repasse do desconto de R$ 0,46 no litro do óleo diesel ao consumidor.

O acordo foi assinado nesta sexta, no Ministério de Minas e Energia e foi anunciado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista coletiva na noite desta última quinta-feira (31) no Palácio do Planalto.

Fonte: G1

Comente esta postagem via Facebook
COMPARTILHE

COMENTE

Please enter your comment!
Please enter your name here